Redação

31/07/2020 - 3 minutos de leitura.

Renault tem perdas de R$ 44 bilhões no primeiro semestre

Empresa fechou os primeiros seis meses do ano com perdas de US$ 8,5 bilhões, mas tem um plano de recuperação

renault
RENAULT Crédito: RENAULT
Carro

Vai comprar um 0km? Nós te ajudamos a escolher.

A Renault apresentou os dados de fechamento do primeiro semestre e o resultado não é bom. A empresa francesa teve perda de US$ 8,5 bilhões, cerca de 44 bilhões na cotação atual em conversão direta. Do total, a parceira de aliança, Nissan, foi a responsável por US$ 5,7 bilhões (cerca de R$ 30 bilhões).

No montante, US$ 5 bilhões (R$ 25 bilhões) são prejuízos e custos de reestruturação. Com a anúncio do balanço, as ações da Renault tiveram um mergulho de 8,8% no valor. No acumulado do ano, o valor das ações caíram 47%.

A Renault apresentou perdas operacionais de US$ 2,3 bilhões (R$ 11 bilhões), além de um consumo de caixa de US$ 7,6 bilhões de dólares (R$ 39 bi). Isso levou a empresa a aceitar ajuda financeira do governo francês, que emprestou dinheiro à companhia – cerca de US$ 5,9 bilhões.



Inscreva-se no canal do Jornal do Carro no YouTube

Veja vídeos de testes de carros e motos, lançamentos, panoramas, análises, entrevistas e o que acontece no mundo automotivo em outros países!

Inscrever-se

Vender menos para lucrar mais

“A situação é sem precedentes, mas não é final”, disse o CEO da Renault, Luca de Meo em uma declaração. “Nos estamos totalmente dedicados a corrigir a situação por meio da disciplina que vai além de reduzir nossos custos. Preparando para o futuro, também significa construir uma estratégia de desenvolvimento e nós estamos trabalhando nisso ativamente”, completou.

Vale lembrar que a Renault anunciou o corte de cerca de 14.500 empregos ao redor do mundo, além de reduzir a capacidade de produção em 5%. Com isso a empresa espera reduzir custos em US$ 2,3 bilhões (R$ 12 bilhões) dos quais US$ 700 mi serão em economias feitas este ano.

O foco da companhia agora está no valor dos produtos e não no volume, estratégia semelhante a que adotou a FCA Fiat Chrysler no Brasil e também em outros mercados ao reduzir produtos e marcas, mas se tornando mais rentável com produtos de maior valor agregado.

Notícias relacionadas


Ofertas 0KM

Mais ofertas

Mais ofertas exclusivas

Veja todas as condições especiais