Redação

08/07/2020 - 5 minutos de leitura. Atualizado: 13/10/2020 | 11:59

Os cuidados com o carro no inverno

A chegada do inverno é mais um ingrediente na lista de riscos aos veículos, sobretudo os que são pouco utilizados por causa da pandemia

inverno
BATERIA É UM DOS ITENS QUE MAIS SOFRE NO INVERNO Crédito: FOTO SERGIO CASTRO/ESTADÃO
Carro

Vai comprar um 0km? Nós te ajudamos a escolher.

Oficialmente, a quarentena em São Paulo começou no dia 24 de março. Com o isolamento social, a utilização dos automóveis diminuiu bastante. E, se carro parado requer atenção, a chegada do inverno exige ainda mais cuidados. Sob baixas temperaturas, a partida do motor, por exemplo, fica mais difícil, especialmente se a bateria não estiver em boas condições.

Com o passar do tempo, a bateria perde a capacidade de reter energia elétrica, mesmo em situações de uso normal. Com pouca utilização do carro, esse enfraquecimento se acelera. Além disso, no frio o óleo do motor fica mais denso, o que exige maior esforço para dar a partida. Se a bateria já não estava muito bem de saúde por causa da inatividade do veículo, pode não dar conta do recado.

A energia armazenada continua sendo consumida mesmo com o carro parado, por causa do funcionamento permanente de alarme e outros sistemas. Por isso, vale a recomendação de ligar o carro semanalmente. Para não forçar muito a bateria, em modelos com câmbio manual uma dica simples é pisar na embreagem antes de acionar a ignição. Com isso, o esforço para a partida diminui.

O ideal é deixar o motor funcionando por cerca de 15 minutos, para que a energia da bateria seja restabelecida. Se o carro fica em garagem fechada, é recomendável sair com ele, para facilitar a dispersão dos gases.



O funcionamento do automóvel, além de ajudar a carregar bateria, garante que os fluidos circulem por todo o motor. Durante esse processo, o ideal é manter desligados equipamentos que consomem energia, como faróis e som. Outro item que dever ser ligado por alguns minutos, para evitar ressecamento das mangueiras, é sistema de ar-condicionado.

Aproveite a saída rápida para verificar a pressão dos pneus. Eles perdem pressão quando o veículo não é utilizado e manter a calibragem correta evita deformação da borracha. A dica é colocar pressão máxima, recomendada para carro cheio (ocupantes e bagagem). Caso isso tenha de ser feito em posto de serviço, não se esqueça de higienizar as mãos com álcool em gel.

ANDRE LESSA/ESTADÃO

Tanquinho e lubrificantes

Verifique também o nível de combustível do tanque principal e do reservatório de partida auxiliar (se houver) e complete, se necessário. Sem gasolina no tanquinho, aí sim é que a partida estará comprometida.

Atenção também para o óleo do motor. O lubrificante deve ser substituído obedecendo o limite de quilometragem ou de tempo (geralmente isso deve ser feito a cada 10 mil km rodados ou um ano, o que ocorrer primeiro). Com o veículo parado, é provável que a troca tenha de ser feita pelo prazo, mesmo que a quilometragem não tenha sido alcançada.

Aproveite o tempo de inatividade do veículo para verificar o estado de itens como palhetas de limpador de para brisa e espia (no caso de hatches), lâmpadas e filtros – especialmente o de cabine. Muitas dessas tarefas podem ser feitas em casa.

Nesses tempos de isolamento social, uma “aproximação maior” com o carro pode até funcionar como uma boa terapia. Para casos mais complexos, recorra uma oficina de sua confiança. Como esse tipo de serviço é considerado essencial, os estabelecimentos continuam funcionando normalmente.

Inscreva-se no canal do Jornal do Carro no YouTube

Veja vídeos de testes de carros e motos, lançamentos, panoramas, análises, entrevistas e o que acontece no mundo automotivo em outros países!

Inscrever-se

Notícias relacionadas


Ofertas 0KM

Mais ofertas

Mais ofertas exclusivas

Veja todas as condições especiais