Tião Oliveira

29/07/2020 - 10 minutos de leitura.

Caoa fará novos carros da Hyundai no Brasil

A Caoa não confirma a informação mas, segundo fontes ligadas ao negócio, serão feitos um sedã subcompacto e um médio. Os mais prováveis são o Xcent e o Elantra

Caoa
CAPA_FOTO_PINCIPALxcent-1503911441-prod-var Crédito: Hyundai
Carro

Vai comprar um 0km? Nós te ajudamos a escolher.

A Caoa fará dois novos carros da Hyundai em Anápolis (GO). A empresa não confirma a informação mas, segundo fontes ligadas ao negócio, serão produzidos um sedã subcompacto e um médio. As apostas mais prováveis são o Xcent e o Elantra. A produção deverá começar entre o segundo semestre de 2021 e o início de 2022.

Caoa

O Xcent (acima) é um subcompacto de quatro portas menor que o Ka Sedan. O Hyundai tem 4 metros de comprimento, 1,66 m de largura e 2,43 m de distância entre os eixos. Na Coreia do Sul, o carrinho é oferecido com motor 1.0 de três cilindros a gasolina que gera potência de 83 cv e torque de 11,6 mkgf. O câmbio é manual de cinco marchas. No entanto, é quase certo que o Xcent nacional seja já a nova geração, que chega à Ásia ainda este ano.

Inscreva-se no canal do Jornal do Carro no YouTube

Veja vídeos de testes de carros e motos, lançamentos, panoramas, análises, entrevistas e o que acontece no mundo automotivo em outros países!

Inscrever-se

Se a produção for mesmo confirmada, no Brasil o modelo deverá ter o mesmo motor 1.0 da linha HB20. Trata-se de um três-cilindros flexível de até 80 cv.

Para comparação, o Ka Sedan tem, respectivamente, 4,27 m, 1,69 m e 2,49 m. Na versão de entrada, o Ford feito em Camaçari (BA) traz motor 1.0 flexível de até 85 cv e 10,7 mkgf. O câmbio é manual de cinco velocidades e o preço sugerido parte de R$ 55.390.

Elantra acaba de ser renovado

Caoa

O outro modelo que pode ser feito em Anápolis é o novo Elantra. O sedã médio, que já faz parte da linha 2021 da Hyundai, recebeu uma profunda atualização no início deste ano.

O Elantra tem novos visual, acabamento, tecnologias e mecânica. O sedã cresceu 5,5 cm e agora tem 4,67 metros de comprimento. O entre-eixos ganhou 2 cm e, com 2,72 m, ficou maior que o do Toyota Corolla, que tem 2,7 metros.

A dianteira recebeu uma enorme grade, faróis mais afilados e com uma linha de luzes de LEDs na parte superior. Em conjunto com o capô bem inclinado e com os para-choques redesenhados, o sedã ficou com um aspecto moderno e esportivo.

Atrás, há novas lanternas em formato de triângulo (foto abaixo). Uma linha em baixo relevo une as duas peças e cria um efeito visual inusitado e de grande destaque.

Na cabine, os novos instrumentos envolvem o motorista. O acabamento está mais caprichado e a central multimídia tem tela de 10,25 polegadas (mesma dimensão do quadro de instrumentos virtual) sensível ao toque. O sistema, compatível com Apple Carplay e Android Auto, pode conectar dois celulares simultaneamente.

Caoa

Modelo deve ter motor flexível no Brasil

Ajuste do ar-condicionado por meio do smartphone, controles automáticos de velocidade de cruzeiro, de permanência em faixa de rolamento e de farol alto estão na lista de equipamentos. Assim como sensor de ponto cego, câmeras na frente e atrás, navegador GPS, etc.

Nos Estados Unidos, onde as vendas estão começando, o novo Hyundai tem opções com motor a combustão e híbrida. A primeira traz o 2.0 de quatro cilindros que gera 150 cv de potência e 18,5 mkgf de torque. O câmbio é automático do tipo CVT.

A versão híbrida traz motor 1.6 a gasolina de quatro cilindros e outro elétrico. A potência total é de 140 cv. O câmbio é automatizado de seis marchas e duas embreagens. Segundo informações da marca, com um litro de gasolina essa configuração pode rodar mais de 20 km.

No Brasil, o Elantra saiu de cena no início deste ano. Vinha da Coreia do Sul, tinha motor 2.0 flexível de 167 cv e câmbio automático de oito marchas.

Grupo Caoa tem outras marcas

Caoa

O novo movimento mostra um importante e positivo avanço na relação entre a Caoa e a Hyundai (leia mais abaixo). O grupo brasileiro capitaneado por Carlos Alberto de Oliveira Andrade é importadora oficial dos carros da marca sul-coreana. E produz os SUV ix35 e Tucson (foto acima), além dos caminhões HR e HD, na fábrica que mantém em Anápolis.

A Hyundai, por sua vez, fabrica em Piracicaba (SP) as linhas HB20 (hatch e sedã) e Creta (SUV). A planta é da Hyundai Motors Corporation (HMB).

A operação da Caoa é bem maior. Além de fabricar veículos da marca sul-coreana, a empresa brasileira é importadora oficial da japonesa Subaru. E também é dona da Caoa Chery. Essa divisão fabrica veículos da companhia chinesa em Jacareí (SP) e Anápolis.

Caoa

A Caoa Chery produz três carros em São Paulo: o SUV Tiggo 2 e os sedãs Arrizo 5 e Arrizo 6. Da planta de Goiás saem, além dos modelos da Hyundai, os SUVs Tiggo 5X e Tiggo 7, da Caoa Chery. E em breve a unidade passará a produzir também o Tiggo 8, primeiro SUV com sete lugares feito no Brasil (foto acima).

Além disso, o Grupo Caoa se prepara para lançar a marca Exeed no mercado brasileiro. Trata-se da divisão de luxo da Chery. Possivelmente, serão feitos três modelos da Exeed no País, todos SUVs.

Haverá um compacto, um médio e um de alto luxo, e tecnologias como reconhecimento facial, algo raro no mundo e inédito em veículos feitos no Brasil. O menor carro da nova marca é o LX (foto abaixo).

Caoa

Caoa e Hyundai viveram crise em 2018

A relação entre a Caoa e a Hyundai sofreu um recentemente. Mas a queda de braço iniciada em 2018 parece ter chegado ao fim – e com final feliz.

O motivo da briga foi o rompimento, pela Hyundai Motors, de um contrato com a Caoa. O documento garante o direito de a brasileira importar e produzir veículos da sul-coreana por 20 anos.

A cláusula 2.02 do contrato previa renovação automática ao fim dos dez primeiros anos. O prazo venceu em 30 de abril de 2018. Antes, porém, em 12 de abril, a Hyundai rompeu o acordo de forma unilateral.

Segundo uma fonte da Hyundai, não se tratava de fim da parceria, mas de “uma adequação do contrato”. A mesma fonte confirmou que o contrato previa renovação automática do contrato.

A Caoa alegou que a Hyundai não apresentou justificativa para o rompimento. A empresa brasileira entrou com liminar na Justiça de São Paulo que garantiu a manutenção de todas as cláusulas do contrato.

E também solicitou arbitragem da disputa a um tribunal de Frankfurt, na Alemanha. Essa prerrogativa está prevista no documento firmado com a Hyundai para casos de litígio.

Para o tribunal arbitral a Caoa havia indicado Gustavo Tepedino, ex-diretor da Faculdade de Direito da UERJ e membro do Grupo Latino-americano de Arbitragem da Câmara de Comércio Internacional (CCI) e do Comitê Brasileiro da CCI. Da Hyundai, o escolhido foi o inglês John Beechey, ex-presidente da CCI e um dos árbitros mais famosos do mundo.

Segundo fontes ligadas ao assunto, até o momento nada foi decidido. Na prática, a relação entre as duas dá sinais de que tudo está bem. Ao menos por ora.

Caoa

 

Notícias relacionadas


Ofertas 0KM

Mais ofertas

Mais ofertas exclusivas

Veja todas as condições especiais


OFERTA EXCLUSIVA

Hyundai HB20 Todas as versões